Notícias

Conselhos de Claudia Rocha para você inovar na sua empresa

Conselhos de Claudia Rocha para você inovar na sua empresa

Conselhos de Claudia Rocha para você inovar na sua empresa

Empresas de todos os setores precisam estar atualizadas para não deixar a "peteca cair" e os projetos de inovação são ferramentas que podem ajudar nisso. Normalmente, eles surgem para solucionar um problema ou para oferecer uma oportunidade de crescimento no mercado.
A consultora de captação de recursos públicos e privados Claudia Rocha, é especialista no assunto e trouxe algumas dicas para quem deseja criar um projeto de inovação. Ela é professora do curso online Projetos de inovação: do projeto à captação de recursos oferecido pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL), a partir do próximo dia 31 de maio, por meio da plataforma de Educação Executiva

Confira, a seguir, os conselhos para inovar na sua empresa que Claudia Rocha deu em entrevista para a Agência CNI de Notícias: 

O que é um projeto de inovação?

CLÁUDIA ROCHA -
 Projetos de inovação são o planejamento e a execução de ideias transformadoras. Eles costumam dar origem a novos produtos, serviços, processos, ferramentas, modelos de comunicação, entre outros recursos que a empresa utiliza para aumentar os resultados positivos. Os projetos de inovação podem ser criados para resolver problemas ou explorar oportunidades.
Uma inovação incremental é a forma mais comum dentro das empresas. Nesse tipo de projeto, melhorias são acrescentadas a um produto já existente. Um exemplo são as versões de smartphones criadas pelas empresas Apple e Samsung, onde cada novo aparelho traz diferenças de tela, câmera e hardware
Já um exemplo de inovação disruptiva, ou seja, que rompe os padrões da empresa, é o case da Connekt que integra o programa Natura Startups. Eles inovaram na forma de recrutar candidatos por meio de um processo digital e com isso o tempo para selecionar colaboradores caiu de 15 para 5 dias. A ferramenta deu fim a triagens, ligações e entrevistas tradicionais e possibilitou um corte de gastos inovador para a empresa. 

Na sua opinião, por onde uma pessoa/empresa deve começar um projeto de inovação?

CLÁUDIA ROCHA -
Existem várias ferramentas e metodologias que ajudam nesse processo, vou exemplificar algumas:

  1. Mapa de empatia: ouça os seu consumidores, são eles que mais conhecem seus produtos e serviços, busque todas as informações que puder quanto às dores e necessidades dos seus clientes;
  2. Design thinking: tem como objetivo desenvolver uma experiência de consumo, que seja altamente desejável pelo consumidor, viável tecnologicamente e rentável para o seu negócio, utilizando a empatia, experimentação e prototipação;

Depois de ouvir seus clientes e identificar as oportunidades que a empresa pode inovar, coloque o projeto no papel. Algumas perguntas podem guiá-lo nesse processo.

  • Who (quem): Para quem seu projeto é destinado?
  • What (o quê): Como define seu projeto? O que ele é? O que faz?
  • Why (por quê): Por que ele deve ser desenvolvido?
  • When (quando): Quando ele deve ser implementado? Para suprir qual necessidade?
  • Where (onde): Onde é o melhor local para inserir seu projeto?
  • Whom (para quem?): Para quem você está desenvolvendo esse projeto?
  • How (como): Como ele deve ser inserido? O que se espera alcançar?
  • How much (quanto): Quanto ele irá custar?
  • How Many (quantos): Quantas pessoas/recursos serão necessários?

Quando todas as perguntas tiverem respostas, a empresa terá um projeto inovador.

Qual a maior dificuldade que podem encontrar durante a criação de um projeto de inovação?

CLÁUDIA ROCHA -
 Como dito nas respostas anteriores, um projeto de inovação nasce de uma necessidade ou oportunidade mapeada, para oferecer uma chance de explorar mercados em rápido crescimento, nos quais a empresa possui baixa ou nenhuma participação até o momento. 
O maior problema que vejo é um elevado grau de desconhecimento sobre a gestão da inovação. Em sua grande maioria, as organizações não incorporam práticas de gestão da inovação ou veem o tema apenas como aquisição de máquinas e equipamentos para seus processos produtivos, com pouca ou quase nenhuma ênfase à inovação de produtos e serviços. 
A cultura de inovação também é um dos pontos frágeis, pois é vista frequentemente como o principal obstáculo ao sucesso. Profundamente arraigada, e muitas vezes sutil, ela acaba sendo uma das coisas mais lentas a mudar.
Criar uma cultura de inovação requer habilidades de liderança e de pessoas, uma mudança de mentalidade e ações concretas para refletir esses novos valores. 
A solução está na gestão de inovação, pois, por meio dela, é possível gerenciar ideias inovadoras e avaliar o potencial de cada projeto, as adaptações necessárias, os benefícios e qual é o retorno que pode ser obtido. Mas para implementação, é preciso considerar o modelo de negócios, as estratégias da empresa, os processos organizacionais, a governança corporativa e os recursos que podem ser destinados às novas ideias.

Quais recursos são necessários para tirar um projeto do papel? As ferramentas disponíveis no mercado são suficientes?

CLÁUDIA ROCHA -
Inicialmente, é necessário que o empreendedor planeje de forma racional todos os recursos necessários para alavancar e tirar a sua ideia do papel. 
Estipule os custos indispensáveis como estrutura, material, equipe e riscos eventuais. Pois sabendo quais serão os custos, o empreendedor irá buscar as melhores fontes de fomento para viabilizar o projeto. 
No nosso país temos, desde fomentos reembolsáveis (linhas de financiamento à inovação), até fomentos não reembolsáveis (editais) e incentivos fiscais à inovação.
Alguns exemplos de financiadores são a Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), as Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs), os bancos de desenvolvimento, o Sistema S, a Embrapii, entre outros. Não falta recursos, mas falta bons projetos.


Por: Giovanna Chmurzynski
Da Agência CNI de Notícias

 


Compartilhar:
LOCALIZAÇÃO
Tv. Quintino Bocaiúva, 1588 - Nazaré -
66035-190 - Belém/PA
CONTATOS
(91) 4009-4900
ascom@fiepa.org.br
SIGA A FIEPA