Notícias

Indústria paraense se mobiliza para combater o coronavírus

Indústria paraense se mobiliza para combater o coronavírus

Indústria paraense se mobiliza para combater o coronavírus

Em meio à pandemia da Covid-19, a indústria paraense tem trabalhado para apoiar as autoridades no enfrentamento à crise e também reforçado a prevenção tanto entre seus colaboradores quanto das comunidades localizadas no entorno das suas operações. São ações que vão desde a doação de equipamento de saúde, passando por informações para a comunidade, para os colaboradores, além do reforço nas ações de Saúde e Segurança da Indústria dentro das empresas.

Para o presidente do Sistema FIEPA, José Conrado Santos, isso demonstra o quanto a indústria local está comprometida com a sociedade paraense e com a saúde e segurança de seus colaboradores. “A indústria é uma atividade importante, pois produz insumos e produtos acabados essenciais para a população. As empresas do setor tradicionalmente já possuem ações voltadas para a saúde do trabalhador, que foram reforçadas devido à pandemia de coronavírus, e agora reforçam seu comprometimento com o Estado do Pará, por meio de doações e apoio às comunidades neste momento em que todos devem se unir para enfrentar as conseqüências da pandemia”, avalia.

 A Mineração Rio do Norte, produtora de bauxita localizada no Oeste do Pará, realiza uma grande campanha de comunicação para comunidades quilombolas e ribeirinhas, por meio de canais como WhatsApp, Mídias Sociais e rádio. Os conteúdos dizem respeito à prevenção das pessoas e trazem linguagem adaptada às comunidades e alinhadas às recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). A ação beneficia mais de 4 mil pessoas de 16 comunidades quilombolas e duas comunidades ribeirinhas.

A Mineração Rio do Norte fez ainda a aquisição de 1000 testes rápidos para diagnóstico da Covid-19, parte deles para serem distribuídos aos hospitais municipais de Oriximiná e Terra Santa. A previsão de chegada dos kits é até o final da primeira quinzena de abril. A empresa está tentando efetuar a compra de respiradores, EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e de materiais de limpeza para serem distribuídos para os Hospitais Municipais de Oriximiná, Terra Santa e Faro.Também serão distribuídas 1200 cestas básicas, contendo 54 itens, para 16 comunidades.

Outra empresa localizada no Oeste do Pará, a Alcoa, une seus esforços ao Instituto Alcoa e Alcoa Foundation, para fazerem doação de testes rápidos, materiais de prevenção e equipamentos para o tratamento do COVID-19, contribuindo assim com a prevenção e combate à pandemia em Juruti.

No município, serão doados reanimadores e ventiladores pulmonares, desfibriladores, bombas de infusão, oxímetros, kits laringoscópios entre outros equipamentos especializados. Também serão doados camas hospitalares mecânicas, carros-maca, suportes para soro, ar-condicionados e tenda para triagens, além de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e kits de testes para identificação do Coronavírus, além de cestas básicas complementadas com itens de higiene e limpeza para famílias em situação de vulnerabilidade.


Hospitais de campanha

 

Com plantas industriais em Barcarena e Paragominas, a Hydro tem realizado iniciativas para combater a proliferação do vírus nas comunidades onde atua. “Temos estabelecido um diálogo proativo com as autoridades com o objetivo de colaborar em todas as esferas. Assim como a saúde e a segurança dos nossos empregados, familiares e contratados são nossa prioridade, temos também um compromisso de apoiar o esforço coletivo para impedir a disseminação”, afirma John Thuestad, vice-presidente executivo da empresa.

A Hydro assinou na quinta-feira (2/04), um acordo com o governo do Estado do Pará que prevê a doação de R$ 5 milhões para apoiar a construção e manutenção dos novos hospitais de campanha, anunciados pelo Estado. De acordo com o governo, os leitos serão divididos em quatro regiões com alta concentração populacional: a capital Belém e as cidades de Marabá, Santarém e Breves, na ilha do Marajó, totalizando 720 leitos.

Em 22 de março, a Hydro assumiu o compromisso de abastecer com água mineral o abrigo criado pelo Governo do Pará, no Estádio Mangueirão, voltado às pessoas em vulnerabilidade social. E, na última semana, a Albras, empresa que pertence a Hydro e a NAAC, NipponAmazonAluminium Co., doou à Prefeitura de Barcarena, no Pará, o prédio onde funcionou um dos antigos alojamentos para empregados, que tem área total de 3.789,00 m2, para que seja instalado um hospital de campanha no município.

A Brigada de Emergência Ambiental Comunitária da Hydro realiza, por meio de mensagem em carro-som, o trabalho de orientação sobre ações de prevenção e combate ao Covid-19 em nove comunidades do município de Barcarena, para minimizar o risco de propagação da doença no município.

Outra ação da Hydro, em sete municípios paraenses onde a empresa tem atividades, é a doação, nas próximas semanas, de 25 mil cestas básicas para nutrição e reforço de higiene de famílias em maior vulnerabilidade social. Os mesmos municípios também serão contemplados com a doação de cinco mil kits para testes de detecção do coronavírus.


Colaboradores

 

A Imerys, mineradora que atua com caulim nos municípios de Barcarena e Ipixuna do Pará, tem adotado políticas e medidas para alertar e prevenir seus  colaboradores. Além da comunicação visual, reforçando medidas de higiene e prevenção, foram disponibilizados frascos de álcool gel e máscaras para os funcionários e a maior higienização de todos os ambientes da empresa. Também foi reduzida a quantidade de pessoas circulando nas operações.

 “Todos os trabalhadores em função administrativa estão trabalhando em regime home office e aqueles que viajaram para áreas que possuem alto número de infectados pela Covid-19, são orientados a ficar em casa em quarentena e pessoas com mais de 60 anos, do grupo de risco e que apresentam sintomas de gripe estão em afastamento”, explica Juliana Carvalho, gerente de Comunicação & Relações com a Comunidade da Imerys. A mineradora também está conscientizando a população das comunidades no entorno de suas operações por meio de cartazes e diálogos.

A Alubar, empresa líder de mercado na América Latina que fabrica cabos elétricos de alumínio e cobre, também localizada em Barcarena, é uma das indústrias que, por ser importante ter papel essencial dentro do setor elétrico brasileiro, precisa manter  suas operações durante a pandemia do por conta do novo Coronavírus. Neste sentido, a empresa  desde março pôs em prática diversas ações no intuito de reduzir os riscos de contágio para proteger seus 1.300 colaboradores diretos e indiretos, respeitando as recomendações das autoridades de saúde pública.

A empresa adotou escalas de trabalho para equipes administrativas, maior controle de fluxo de pessoas em locais de uso comum, isolamento de colaboradores em grupos de risco, reforço constante na limpeza e higienização, instalação de suportes contendo álcool em gel pelas áreas de maior circulação de pessoas, medição de temperatura corporal de quem entra nas unidades, campanhas de conscientização, entre outras ações.

 

“Além do que podemos fazer como empresa, nós sempre reforçamos com cada um de nossos colaboradores e com nossos parceiros, que eles precisam fazer a própria parte. É fundamental ainda que todos busquem as informações oficiais das autoridades. Não podemos compartilhar as chamadas fake news e nem desestimular as medidas tomadas”, diz Ana Carolina Santos, Gerente de Gestão de Pessoas da Alubar.

 

Foto: Divulgação/Alubar

Compartilhar:
LOCALIZAÇÃO
Tv. Quintino Bocaiúva, 1588 - Nazaré -
66035-190 - Belém/PA
CONTATOS
(91) 4009-4900
ascom@fiepa.org.br
SIGA A FIEPA