Convênios têm como objetivo fortalecer cadeia do pescado e gestão do saneamento no Xingu

Publicado em 03/04/2019 17:35h

Fiepa Novidades

Convênios têm como objetivo fortalecer cadeia do pescado e gestão do saneamento no Xingu

O fortalecimento da cadeia do pescado e a capacitação de gestores municipais para tratar da questão do saneamento nos municípios da região do Xingu são os destaques dos novos convênios assinados nesta quarta-feira (03) entre a Norte Energia e a REDES – Inovação e Sustentabilidade Econômica, uma iniciativa do Sistema FIEPA. A assinatura foi feita na sede do Sistema FIEPA, pelo presidente da instituição, José Conrado Santos, e por Paulo Roberto Ribeiro Pinto, diretor presidente da Norte Energia. Na mesma ocasião, também foi assinada a filiação da empresa de geração de energia ao Centro das Indústrias do Pará (CIP).

As atividades previstas pelos convênios com a REDES/FIEPA serão realizadas em Altamira, Anapu, Brasil Novo, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu - os cinco municípios da área de influência direta da UHE Belo Monte, operada pela Norte Energia. Na cadeia do pescado serão duas vertentes, uma do peixe para consumo e a outra, para peixes ornamentais. “O foco neste caso não serão nas técnicas de criação do pescado e sim nos negócios”, esclareceu Marcel Souza, gestor executivo da REDES/ FIEPA.

Sendo assim, o trabalho da instituição no território, explicou ele, inicia-se com um diagnóstico mercadológico local, nacional e internacional. Após essa etapa haverá a capacitação de associações e produtores, com o objetivo de prepará-los para as oportunidades apontadas pelo diagnóstico. Uma outra instituição envolvida nessa fase, segundo Marcel, será o Centro Internacional de Negócios (CIN), da FIEPA, que prestará assistência no fomento à exportação dos produtos.

“A Norte Energia é parceira do Sistema Indústria desde 2012 e é com grande satisfação que hoje a gente renova essa parceria, para continuar trabalhando com uma empresa que é não só genuinamente paraense, mas de grande interesse nacional. A gente agradece inclusive toda essa confiança que a empresa deposita no Sistema Indústria, por meio da REDES, do SESI e do SENAI”, declarou o presidente do Sistema FIEPA, José Conrado Santos.

O diretor presidente da Norte Energia, Paulo Roberto Ribeiro Pinto, considera as assinaturas de convênio um legado para a fase pós construção da Usina Belo Monte. “Os dois convênios são de muita importância para nós. Deixamos vários outros legados e esses são mais dois exemplos”, disse, destacando ainda o papel da FIEPA nesse processo. “Considerando que a Norte Energia é a maior empresa 100% brasileira geradora de energia elétrica, instalada aqui no Estado do Pará, e com capacidade de contratação de mão de obra de forma direta e indireta, ela deve estar inserida no contexto socioeconômico do Estado do Pará, por isso é também importante manter-se alinhada e engajada com a Federação das Indústrias do Estado do Pará”, destacou.

Regulamentação – Além do diagnóstico e da capacitação, o projeto da cadeia do pescado incentivará a participação dos produtores em feiras voltadas para o segmento, a troca de experiências com outras regiões e a participação do Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap). “Um dos desafios mais importantes vai ser junto com a Sedap, para começarmos a regulamentar o setor. A regulamentação existente hoje é na gôndola do supermercado, mas a cadeia antes disso não possui”, pontuou Marcel Souza, da REDES/FIEPA.

Saneamento – No outro convênio celebrado entre a Norte Energia e a REDES/FIEPA, os gestores públicos serão capacitados para a gestão dos equipamentos de saneamento que a empresa de energia construiu, item contemplado no atendimento das condicionantes da UHE Belo Monte. “Junto com isso, vamos fazer um monitoramento da implantação e da evolução de alguns indicadores de saneamento”, explicou Marcel Sousa.

Segundo ele, o saneamento e questões de saúde pública são alguns dos principais itens básicos para o desenvolvimento dos municípios e da região. “Isso perpassa pela competitividade de instalação de novos projetos industriais, por isso temos interesse nisso. Outro fato é que a atividade é também uma oportunidade para o setor da construção civil”, esclareceu.

Os convênios assinados com a Norte Energia terão duração de dois anos. De acordo com Junior Lopes, coordenador de projetos e conteúdo da REDES/FIEPA, o leque de soluções que a REDES disponibiliza ao mercado industrial objetivam não só o fomento das compras locais, como também a melhoria, como um todo, do ambiente de negócios no Estado. “A gente tem capacidade e expertise para atuar em qualquer estratégia relacionada ao ambiente de negócio da indústria paraense, nossa equipe está preparada para embarcar em novos desafios”, explicou.

Oportunidades - A Norte Energia é parceira da REDES/FIEPA desde 2012, com várias ações de sucesso implementadas na região do Xingu, com destaque para a EXPOXINGU – Feira de Oportunidades e o Galpão de Oportunidades. Este último beneficiou milhares de famílias com cursos de capacitação e encontros sobre empreendedorismo local.

Executado pela Norte Energia, no âmbito do Plano de Articulação Institucional do Projeto Básico Ambiental da UHE Belo Monte, em parceria com a REDES, o Galpão de Oportunidades identificou mil empreendedores locais com potencial de desenvolvimento. Destes, 636 inscreveram-se nos cursos de atualização e capacitação envolvendo 2.046 profissionais e mais a execução de oito rodadas de negócio entre empreendedores de Altamira, Anapu, Brasil Novo, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu, os cinco municípios da área de influência direta da usina.

Em 2016, o projeto foi concluído com a realização do Fórum de Desenvolvimento Econômico, voltado às estratégias regionais pós conclusão das obras da UHE Belo Monte. O Galpão de Oportunidades também passou por áreas rurais do médio Xingu. Um total de 280 pessoas, incluindo pequenos empreendedores de 10 comunidades, moradores da região da Volta Grande do Xingu, participaram de cursos capacitação e atualização.

Em 12 meses de execução do projeto, foram identificados cinco produtos em potencial de mercado – artesanato em cipó, moda praia, pintura em tecido, decoração de sandálias e artesanato de crochê, além da realização de um Simpósio Regional do Pescado.

O desdobramento também gerou encontros, capacitação profissional e indicou caminhos a serem seguidos pelos empreendedores da região, após a conclusão da Usina.

Para Marcel Souza, gestor executivo da REDES FIEPA, a parceria foi muito positiva para a região. “Percebemos o quanto é importante ter uma empresa desse porte e genuinamente paraense, com a visão empreendedora, comprometida com o projeto e que valorize ações de desenvolvimento sustentável. Acreditamos no potencial das oportunidades do empreendimento na fase de operação e estamos celebrando hoje este empolgante desafio”, concluiu.

Galeria de Imagens

Convênios têm como objetivo fortalecer cadeia do pescado e gestão do saneamento no Xingu[1] Convênios têm como objetivo fortalecer cadeia do pescado e gestão do saneamento no Xingu[2] Convênios têm como objetivo fortalecer cadeia do pescado e gestão do saneamento no Xingu[3]
SISTEMA FIEPA - Portal da Indústria Paraense
X