Indústria paraense mostra inovação e tecnologia na FIPA 2019

Publicado em 16/05/2019 17:23h

Fiepa Novidades

Indústria paraense mostra inovação e tecnologia na FIPA 2019

Tendências e tecnologias que prometem revolucionar a produção paraense, a chamada indústria 4.0, ganham destaque na XIV edição da Feira da Indústria do Pará (FIPA). Durante o evento, o público terá acesso às principais ferramentas e inovações para o desenvolvimento da produção.

Os mais de 100 expositores, entre empresas de pequeno, médio e grande porte, dos mais variados segmentos de negócios, estão usando a criatividade para apresentar seus produtos e serviços. Entre eles está a Alubar, empresa líder de mercado em condutores elétricos de alumínio e cobre. Expositora tradicional da FIPA, nesta edição aposta no uso da realidade virtual em 360° para apresentar sua atuação e seus recursos inovadores aos visitantes do estande. Entre as ferramentas estão óculos especiais que levam o visitante a um passeio pelo processo produtivo da fábrica – da produção de metais até a embalagem dos cabos de alumínio e cobre. Já vídeos em TVs com áudio binaural mostram como funcionam os projetos sociais.

A interatividade também está presente em um mapa virtual que simula uma cidade onde é possível visualizar todo o caminho que a energia percorre e as diversas aplicações dos cabos elétricos produzidos pela empresa, desde a transmissão de energia, passando pelas geradoras eólicas, solares, entre outros produtos. “Nesses 20 anos a Alubar saiu de uma empresa que fabricava vergalhões para ser a líder do mercado latino-americano de cabos de alumínio. Trabalhando sempre com tecnologia de ponta, está inserida na indústria 4.0, monitorando seus motores elétricos de forma online, recebendo informações no celular do mecânico ou do gestor, além de apresentar tecnologias novas para o mercado”, destacou Fábio Camargo, Gerente Comercial. A Alubar acabou de concluir obras de expansão que modernizaram a fábrica e aumentaram a capacidade produtiva em 60%.

Outra grande empresa que leva os visitantes da Feira a um passeio virtual é a Vale. Todo o processo de produção e operação dos empreendimentos, como o Complexo S11D (Canaã dos Carajás), a Mina do Salobo (Marabá), que está em expansão e as pesquisas do Instituto Tecnológico Vale (ITV), além dos projetos sociais, podem ser visualizados por meio de recursos tecnológicos presentes no estande. “Dentro desse contexto da indústria 4.0, nos últimos anos fizemos um grande investimento no Estado que é o projeto S11D, inovador na mineração. Nele promovemos uma produção sustentável com um processo a seco, sem barragem e caminhão, que reduz a emissão de monóxido de carbono”, afirmou Luiz Reche, diretor de Metais Básicos da Vale. “É o uso da tecnologia agregando valor ao negócio”, complementou.

Outra inovação adotada pela empresa está presente nos óculos utilizados pelos funcionários durante a operação das minas. Eles possuem um sensor que, por meio do sistema conhecido como Optalert, é possível detectar, em tempo real, estágios da sonolência do operador. Para isso são emitidos alertas visuais e sonoros na cabine do equipamento e na central de monitoramento. Em casos extremos, o empregado é conduzido para uma sala de descanso e é substituído para evitar acidentes.

O Optalert integra um conjunto de ações do Programa de Monitoramento da Fadiga da Vale, implantado nas minas de Carajás, em 2015, e representa um investimento de R$ 15 milhões. Já foi instalada em mais de 160 equipamentos de pequeno, médio e grande porte, envolvendo 1.200 empregados das minas do Sudeste do Pará. A mesma tecnologia foi implantada, inicialmente, em Moçambique (África) e começa a ser testada em Minas Gerais.

Estreante na Feira, mas há 15 anos no mercado paraense, a bebidas Duelo também ressalta durante a Feira o uso da tecnologia em seu processo de produção. Segundo o gerente comercial da empresa, Elton Pantoja, ela é um instrumento fundamental para garantir a qualidade dos produtos. “Tanto a matéria-prima quanto o produto final, passam diariamente por rigorosas análises em laboratórios de alta tecnologia presentes dentro da própria fábrica. Prezamos pela qualidade do nosso produto e a tecnologia vem nos auxiliar nesse sentido”, explicou Elton Pantoja. “Estamos antenados no que o consumidor quer, por isso é muito importante acompanhar essas inovações e dinamismo no mercado de bebidas. A Feira é um espaço muito importante neste sentido”, finalizou Elton Pantoja.

SISTEMA FIEPA - Portal da Indústria Paraense
X